Motoristas não recebem salário e paralisam 100% da frota em Teresina

A expectativa é de que ainda hoje ocorra uma nova tentativa de negociação entre os empresários e a categoria em reunião mediada pelo Tribunal Regional do Trabalho.

Nova mudança no andamento da greve de ônibus chega a paralisação total dos transportes coletivos, que ainda funcionava com 30% da frota. A medida foi tomada na manhã desta terça-feira (06) devido ao atraso no pagamento do salário dos trabalhadores, que de acordo com os mesmos deveria ter sido pago na última terça (05/02). 

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários de Teresina (Sintetro), Fernando Feijão, informou que a orientação dada para os trabalhadores foi que paralisassem completamente e fossem para as suas casas e quando o dinheiro fosse depositado, voltassem a rodar os 30% novamente. No momento não há nenhum ônibus rodando e sem previsão para a volta das atividades. 

"Ainda estamos em processo de negociação. Essa proposta de trabalhar em dois turnos é uma escravidão moderna, um regresso na conquista dos nossos direitos. E certamente,isso foi reprovado pela categoria. Além disso, continuam com a proposta informal de 4%, foi unanimidade dos trabalhadores não aceitar", explicou Fernando. 

A expectativa é de que ainda hoje ocorra uma nova tentativa de negociação entre os empresários e a categoria em reunião mediada pelo Tribunal Regional do Trabalho. 

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: