Portal O Estado

Procedimentos estéticos não-cirúrgicos crescem 30% em dois anos

A procura pela perfeição insere o país na segunda colocação quando o assunto é o ranking mundial de cirurgias plásticas

País de belezas tropicais, o Brasil é reconhecido mundialmente pelos contornos marcantes, corpos malhados e pele bronzeada. A procura pela perfeição insere o país na segunda colocação quando o assunto é o ranking mundial de cirurgias plásticas, informação da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (ISAPS).

Os dados da ISAPS também revelam que os procedimentos estéticos não-cirúrgicos colocam o Brasil em segundo lugar no ranking, atrás apenas dos Estados Unidos. De acordo com o último censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), esse tipo de procedimento aumentou em mais de 30% em um período de dois anos, passando de 17,4% em 2014 para 47,5% em 2016.

Para o cirurgião plástico William Machado, os dados demonstram a crescente busca por mudanças mais naturais, menos invasivas e com recuperação mais rápidas, exigências de quem tem a vida acelerada.

"Os profissionais estão sendo mais requisitados a promover os resultados mais harmônicos possíveis onde o paciente seja percebido mais atraente e jovial, sem necessariamente ficar claro o que foi que ele fez. Ou seja, o paciente já nos procura buscando a perfeição da beleza natural", explicou o médico.

O cuidado em deixar as cicatrizes cada vez menores também é assunto recorrente nos consultórios médicos.  Ainda de acordo com SBCP, são realizadas aproximadamente 600 mil cirurgias plásticas por ano que, para William Machado, estão sendo realizadas com técnicas menos invasivas, mais seguras, mais rápidas e com resultados ainda melhores.

Dentre os variados procedimentos minimamente invasivos, dois deles estão no topo como os mais procurados em consultórios brasileiros: o preenchimento com ácido hialurônico; um procedimento rápido, de resultado imediato e duração média de seis meses a dois anos; e a aplicação de toxina botulínica, utilizada para suavizar rugas e linhas de expressão, pois relaxa músculos específicos temporariamente. O efeito dura mais ou menos cinco meses.

"De forma clara, esses procedimentos não requerem grande cortes ou mesmo não são necessários. Em geral, o paciente faz tudo no próprio consultório e, no período de recuperação, tem as recomendações médicas por um tempo mais curto, se comparado à cirurgia. Além do preenchimento com ácido hialurônico e toxina botulínica, o laser de CO2 e peeling estão entre os procedimentos procurados", finalizou William Machado.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: