Portal O Estado

MEC libera R$ 1,8 bilhões de recursos para educação; maior parte vai para universidades e institutos de ensino

Segundo o ministro Abraham Weintraub, do total de R$ 1,821 bilhão descontingenciados, as universidades e institutos vão receber R$ 1,156 bilhão.

O Ministério da Educação (MEC) anunciou que a liberação de R$ 1,821 bilhão para a pasta será destinada, principalmente, para universidades e institutos federais de educação. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (30), em Brasília.

De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, as universidades e institutos vão receber R$ 1,156 bilhão do total descontingenciado – o que representa 63,4%. O recurso chegará às instituições imediatamente, ainda de acordo com Weintraub.

Veja como será a distribuição dos recursos:

  • 1,156 bilhões para universidades e institutos
  • 270 milhões para bolsas Capes
  • 105 milhões para exames da educação básica
  • 290 milhões livros didáticos

Há uma semana, o governo anunciou que liberaria R$ 8 bilhões contingenciados em várias pastas – R$ 1,6 bilhão da Educação.

Agora, o MEC detalha como será a destinação do recurso, que acabou ganhando uma atualização de valores.

Desde o início deste ano, o MEC já passou por dois contingenciamentos no orçamento: R$ 5,8 bilhões em abril e R$ 348,47 milhões em julho.

A Defensoria Pública da União chegou a entrar na Justiça pedindo o fim da suspensão das verbas das universidades federais do Rio de Janeiro.

No início do mês, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) anunciou o corte de 5.613 bolsas, prevendo uma economia de R$ 544 milhões em 4 anos. A suspensão dos recursos valeria para todos os cursos, até aqueles com boa avaliação e que produz pesquisas de ponta.

Dez dias depois, o MEC anunciou o desbloqueio de parte destas bolsas: foram liberadas 3.182 bolsas de pós-graduação de cursos com alta avaliação.

De acordo com o MEC, a liberação de R$ 270 milhões anunciada nesta segunda será para pagar as bolsas atuais. Segundo a pasta, 2.431 bolsas seguem suspensas porque foram cortadas por terem baixo desempenho.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: