Portal O Estado

Estudante italiano fará palestra na Uespi sobre internacionalização e oportunidades

O evento, que acontece na próxima terça-feira (17/09), é aberto para toda a comunidade acadêmica e a entrada é gratuita.

O estudante de doutorado visitante Nicola Michelon, da Universidade da Bolonha, do Departamento de Ciências Agroalimentar, na Itália, irá realizar a palestra “Internacionalização e oportunidades” em parceria com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), através da Coordenação de relações Internacionais (CRI). O encontro irá acontecer no auditório do Palácio Pirajá, campus Poeta Torquato Neto, na terça-feira (17), às 14 horas. O evento é aberto para toda a comunidade acadêmica e a entrada é gratuita.

Por meio de parcerias interinstitucionais, a Uespi oferece diversas oportunidades de intercâmbio de alunos e professores. O estudante Michelon abordará sobre as oportunidades do convênio que a Uespi tem com a Universidade de Bolonha, além de mostrar para os alunos da área de Ciências Agrárias e Tecnológicas e áreas afins suas pesquisas voltadas para as hortas comunitárias de Teresina.

Nicola Michellon participa de um projeto de pesquisa em hortas educacionais dentro do programa Erasmus + “Garden to Grow” , e é Árbitro de revistas internacionais e italianas na área. Ele busca trazer essas experiências e sua aplicabilidade nas hortas de Teresina. As pesquisas de campo nas hortas começaram em Julho de 2019 por meio de uma parceria com a Coordenação de Relações Internacionais e (CRI), a Secretaria de Desenvolvimento Rual do município e o curso de Agronomia da Uespi.

A instituição forneceu ao professor pesquisas já realizadas no setor de Ciências Agrárias da universidade e a orientação necessária para as atividades de campo na cidade de Teresina.

Segundo o estudante, as pesquisas realizadas em Teresina foram realizadas em cinco hortas comunitárias. Foram aplicados 75 questionários com os agricultores, para saber sobre os níveis de conhecimento deles a respeito do manejo dos recursos naturais, de água e solo. “Fizemos amostragens de solo em diferentes profundidades para serem avaliados os parâmetros no ponto de vista agronômico. Também vamos analisar a presença de metais pesados no solo. Fizemos amostragem de folhas e raiz de mudinha, coentro e alface, que serão analisados também para avaliação de presença dos metais pesados. A última atividade foi as análises químico-físicas das águas para saber se a água tem a característica adaptada para o manejo”, explica. O intercâmbio teve duração de três meses com a aprovação do comitê ético de pesquisa.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: