Construtores se reúnem com Ciro Nogueira e querem redistribuição de recursos para investimentos no Piauí

Governo Federal modificou a alocação dos recursos do Orçamento Operacional do FGTS para a habitação popular, resultando em destinação de mais recursos para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Representantes do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Teresina (Sinduscon) estiveram reunidos com o senador Ciro Nogueira (Progressistas), para discutir a distribuição dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para investimentos, hoje concentrados nos grandes estados do Sul e Sudeste brasileiro. O encontro aconteceu nesta quinta (10) em Teresina.

Segundo informações publicadas em junho no Diário Oficial da União (DOU), o governo modificou a alocação dos recursos do Orçamento Operacional do FGTS para a habitação popular, resultando em destinação de mais recursos para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Para o vice-presidente do Sinduscon-Teresina, Guilherme Fortes, a construção civil piauiense carece de atenção.

"Hoje existe uma concentração de recursos para o Sul e Sudeste brasileiro. Nossa esperança é que consigamos definir e trazer recursos para o Norte e Nordeste. Ou seja, trazer mais recursos, fazer mais obras e gerar mais emprego. Por isso, viemos entender quais são as pautas que estão sendo trabalhadas, buscar o apoio do senador para as demandas do nosso estado e da região", explicou Fortes. 

Junto ao vice-presidente do Sindicato, associados ressaltaram que a concentração de recursos pode atrasar o desenvolvimento regional e indisponibilizar o mercado de trabalho. Durante a reunião, Ciro Nogueira se comprometeu em dialogar com o relator da medida provisória que trata sobre o texto. 

"Espero que o Congresso Nacional utilize essa medida provisória para melhorar os investimentos no nosso estado. Precisamos descentralizar esses investimentos, pois se existe uma coisa que deu certo no Brasil foi o programa Minha Casa Minha Vida. Torço para que essa medida provisória crie mecanismos que ajudem esse investimento no Piauí", comentou o senador.

Próximo passo

Guilherme Fortes conta que as próximas ações estarão voltadas à reunião dos sindicatos nacionais da construção civil para a elaboração de um documento único. "Convocaremos um associado da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), organização que congrega os Sinduscon's, para elaborar um documento unificado dos sindicatos a ser apresentado em Brasília", finalizou o vice-presidente do Sinduscon Teresina.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: