Portal O Estado

Conclusão da Cadeia Pública de Altos vai permitir classificação de presos nas unidades penais do Piauí

Nova unidade reduzirá a superlotação e terá estruturas de educação e de tratamento da dependência química

A Cadeia Pública de Altos, que está me obras, após concluída, será a estrutura prisional mais moderna do estado, contando com três pavilhões, sistema de monitoramento eletrônico, módulo isolado para agentes penitenciários e capacidade para mais de 600 detentos. Além disso, um dos diferenciais da unidade será um módulo de tratamento para dependência química, cuja diretriz está de acordo com a política estadual de combate às drogas.

Para a estrutura física da unidade, já foram investidos mais de R$ 10 milhões. De acordo com o monitoramento do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e o setor de Engenharia da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), a obra está 70% concluída. O nível da segurança na região será reforçado com a implantação de um novo posto da Polícia Militar no perímetro.

O funcionamento da cadeia já está nos planos estratégicos do Governo do Estado para o sistema penitenciário do Piauí. O governador Wellington Dias, que visitou a unidade penal nessa segunda-feira (19), comentou sobre o trabalho integrado entre os estados do nordeste que começam a unificar esforços mais consolidados nas áreas de segurança e justiça.

“Entrou na pauta do Congresso Nacional o projeto desenhado desde 2015 e aprovado no Fórum de Governadores do Nordeste neste ano que prevê a criação do Sistema Unificado de Segurança no Brasil, um plano com fundo próprio e com metas porque há a necessidade de ter metas e medição nessa área de sistema de segurança e justiça”, apontou o governador.

De acordo com Dias, o Brasil e o nordeste, inicialmente, devem lançar mão de mecanismos de monitoramento integrados, que forneçam um panorama regional e nacional sobre a realidade da segurança e dos sistemas penitenciários dos estados. Wellington acredita que a celebração dos termos de integração irá resultar em modernização no combate à criminalidade.

O secretário da Justiça, Daniel Oliveira, assegurou que a conclusão da Cadeia Pública de Altos vai permitir uma melhor classificação de presos nas unidades penitenciárias do Piauí, separando os grandes traficantes que estão presos daqueles que cometeram crime de uma forma menos grave para a sociedade.

Segundo Oliveira, a distribuição dos presos em alto, médio e baixo risco social garante uma política de ressocialização mais eficiente e segura. “Com as ações que estamos implantando na modernização do sistema penitenciário do Piaui, vamos dividir os presos de alto risco, dos de média e baixa periculosidade, permitindo oportunidades para quem quer se recuperar e garantindo rigidez e disciplina para quem não agarrar as oportunidades de se recuperar nos presídios”, destacou o gestor.

Ressocialização

A nova unidade prisional do Estado em Altos deverá investir fortemente em ações que envolvam educação, família e espiritualidade. “Aqui também os detentos vão ter oportunidade de emprego, de estudo e de trabalho para a ressocialização. Esse é o objetivo principal do Governo do Estado, garantir que o preso cumpra a pena nos termos da lei e que aqui dentro ele tenha oportunidade para, ao sair, poder contribuir positivamente para a sociedade”, lembrou o secretário da Justiça.

Geração de emprego

O investimento público na cadeia também tem trazido resultados econômicos para a região e movimentado a construção civil local. A obra possui, atualmente, cerca de cento e trinta e oito operários, distribuídos em várias frentes de serviço como de superestrutura, alvenaria de elevação, ferragem, carpintaria e instalação de esquadrias. De acordo com levantamento da Caixa, a obra já gerou mais de 3 mil empregos diretos e indiretos desde que foi iniciada.

Fonte: Ascom/Sejus

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: