O Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF-PI) realizaram manifestação nesta sexta-feira (22/11) contra a MP 905/2019, editada pelo presidente Bolsonaro, que retira e altera direitos duramente conquistados. A Medida aumenta a jornada de trabalho de 06 para 08 horas, acaba com descanso remunerado aos sábados e domingos, ameaça a PLR (participação nos Lucros e Resultados).

Como forma de protesto, os Bancários e Bancárias do Piauí vão retardar a abertura das agências do Banco do Nordeste e Bradesco, no centro de Teresina, alertando a população e a categoria sobre os efeitos da Medida na vida dos trabalhadores bancários e em geral.

O presidente do SEEBF-PI, Odaly Medeiros ressalta que ao contrário do que o governo diz, esse medida vai gerar desemprego. “Essa MP aumenta a carga de trabalho, com isso diminuirá ainda mais o número de postos de trabalho. Se aprovado o trabalho aos fins de semana, serão 14 horas de trabalho a mais, sem remuneração. Essa medida representa um desmonte dos direitos trabalhistas que ainda temos. Por isso temos que lutar, mostrar nossa insatisfação contra mais esse ataque e buscar reverter essa situação”, afirmou Odaly.

O Comando Nacional dos Bancários em reunião com a Fenaban, dia 14/11, conseguiu suspender a implantação da MP até a próxima reunião que acontecerá dia 26/11, com o objetivo de construir um Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) válido até dezembro de 2020, garantindo todos os direitos da categoria.

Tramitação

A MP 905/2019 foi encaminhada para análise do Congresso Nacional dia 11 de novembro. A Medida vale por 60 dias, podendo ser prorrogada por até mais 60 dias. Dentro desse prazo, precisa ser aprovada pelo Congresso para não perder sua eficácia.

A MP será examinada primeiramente por Comissão Mista de deputados e senadores, antes de ser votada nos dois plenários, da Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Dê sua opinião:

Tags