Portal O Estado

Grupo de teatro do Ceará apresenta espetáculo durante temporada em Teresina

"Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro" é o espetáculo do Grupo Nóis de Teatro

O Grupo Nóis de Teatro, atuante na periferia de Fortaleza-CE há 15 anos, faz a circulação do seu espetáculo "Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro", por cidades do Nordeste brasileiro. Tendo já passado por Natal-RN e João Pessoa-PB, o grupo chega agora à Teresina-PI.

Grupo Nóis de Teatro apresentará o espetáculo “Todo Camburão tem um Pouco de Navio Negreiro” em Teresina (Foto: Reprodução)

Com patrocínio da Petrobras Distribuidora e realização do Governo Federal e Ministério da Cultura, o projeto "Circuito Camburão: Nóis de Teatro 15 anos", leva o espetáculo, que tem quatro anos de temporada, para novos territórios do Brasil.

Em Teresina, serão quatro apresentações: dia 02, quinta-feira, às 19h, na Praça do Bairro Cidade Jardim; dia 03, sexta-feira, às 19h, na Praça da Bandeira; dias 04 e 05, às 19h, no Parque da Cidadania.

Além da apresentação do espetáculo, o Nóis de Teatro oferece a oficina "Dramaturgias da Cidade", ministrada por Altemar Di Monteiro, coordenador do grupo. A vivência está dividida em etapas de 4h/a cada, onde, antes do espetáculo, os participantes terão contato com os mecanismos estéticos da produção do Nóis de Teatro e, após ver o espetáculo, participarão da conclusão desse processo tendo como referencial a obra vista no espaço público.

A ideia é mobilizar grupos de teatro da região, contribuindo para a articulação do intercâmbio e troca de experiências com artistas da cidade, estratégia que acreditam ser fundamental para o fortalecimento do teatro de grupo nordestino.

O espetáculo "Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro", que tem a direção de Murillo Ramos e Dramaturgia de Altemar Di Monteiro, conta a história de Natanael, uma espécie de anti-herói que habita as periferias. Dividido em três atos, narrando a saga de um menino negro que, inserido num contexto de opressão e violência é levado a tomar decisões que lhe custarão um julgamento popular.

Convocando à decisão sobre o destino de Natanael, o público se vê inserido num forte debate sobre o extermínio da juventude negra nas periferias, além da desmilitarização da polícia e da política brasileira. A partir de uma dramaturgia épica, onde o ator narrador é o grande foco, o grupo apresenta uma "tragédia afro", com elementos alegóricos e representativos do universo do movimento negro além de referências diretas à mitologias dos Orixás.

Todas as sessões serão gratuitas e contarão com tradução em libras, além de visita tátil à cenografia e material gráfico em braile, contribuindo para a acessibilidade na cena teatral brasileira. Este programa foi selecionado pelo Programa Petrobras Distribuidora de Cultura 2017/2018.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: