Portal O Estado

Grupo de Teatro da Uespi apresenta “O Santo Inquérito” no Teatro do Boi no sábado (22)

A peça conta a história de Branca Dias, uma mulher que não ia à igreja e que ousou ler em um período em que as mulheres não podiam

O Grupo de Teatro da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) promove mais uma edição do espetáculo “O Santo Inquérito”, de Dias Gomes. Dirigida por Moisés Chaves, a apresentação da peça acontecerá no sábado (22), às 19h, no Teatro do Boi, localizado no bairro Matadouro, próximo ao Clube do Gari. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). A classificação indicativa do espetáculo é de 16 anos.

Em seu artigo “Histórias de opressão e censura em O Santo Inquérito”, André Luis Mitidieri pontua que a obra de Dias Gomes é um texto dramático que conta a saga da cristã-nova Branca Dias e sua família, perseguidos pela Inquisição, na Paraíba do século XVIII, acusados de prática de judaísmo. Ainda segundo ele, o texto foi escrito em um período de intenso autoritarismo e censura política.

A peça conta a história de Branca Dias, uma mulher que não ia à igreja e que ousou ler em um período em que as mulheres não podiam. Por ser uma mulher totalmente libertária e desafiadora dos padrões machistas da época, os acontecimentos e a decepção da protagonista formam uma combinação que culmina em um desfecho forte e impactante.

A atriz que interpreta Branca Dias, Gilvana Morgana, conta que “O Santo Inquérito” foi um achado em sua carreira como atriz. “Fiquei muito feliz quando recebi a missão de representar uma grande mulher como Branca Dias.  Contar a sua história, em dias tempestuosos, é ter a coragem de assumir a existência de um “holocausto cultural”, segundo Anita Novinsky. Além, claro, de provocar um ato de pura reflexão sobre a posição da mulher frente às convenções criadas pela sociedade”, pontua.

“Cada apresentação foi única. O sucesso da peça conta com a integralidade do grupo (atores, produção e contra-regras) como fórmula do seu bom desempenho. O palco do 4 de Setembro é mágico. O João Paulo II é aconchegante. Já o Teatro do Boi vamos desvendar juntos esse mistério. A minha expectativa com relação à peça é que o público esteja aberto para viajar pelos caminhos da reflexão de mãos dadas com Branca Dias, vivenciando sua vitalidade, angústias e decepções”, relata.

O ator Cairo Bruno, intérprete do Padre Bernardo, declara que participar de “O Santo Inquérito” tem sido uma experiência de crescimento e principalmente de aprendizagem e mudança de visão de mundo. “Em tempos tão obscuros, é bom poder fazer parte de um trabalho que faz o público refletir sobre intolerância religiosa e as controvérsias sobre o papel da mulher na sociedade. Para mim, que curso Direito, sem dúvidas é um olhar interessante sobre temas como a agressão ao direito à vida e à liberdade de expressão”, diz.

“Conseguimos romper com os muros da Universidade e levamos ao grande público, através da discussão sobre Branca Dias, Inquisição e Brasil Colonial, aspectos que até hoje, quase 300 anos da época em que se passa o enredo, ainda permanecem vivos na nossa sociedade. Ficamos felizes por estarmos cumprindo com o papel que um projeto de extensão se propõe a ter: ser o elo entre a comunidade e a Uespi, como também uma forma de retribuição à sociedade”, acrescenta.

Coordenador do Grupo de Teatro da Uespi e diretor do espetáculo, Moisés Chaves, afirma que dimensionar a alegria e o prazer de dirigir o grupo é impossível. “O que o Grupo de Teatro da Uespi tem feito é extremamente contribuitivo para a história do teatro produzido em Teresina. Temos atingido grandes públicos por onde passamos, o que é um grande marco, principalmente porque a população teresinense não tem, ainda, o hábito de ir ao teatro”, finaliza.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: