Subsecção da OAB de Corrente realiza caminhada combatendo a violência contra a Mulher

Caminhada aconteceu na manhã deste sábado pelas ruas de Corrente-PI.

A Subseção de Corrente PI realizou neste sábado, em parceria com a equipe de teatro do IFPI- campus Corrente, uma caminhada e mobilização visando retratar os diversos tipos de violência sofridas no âmbito familiar, que tem como vítima a mulher. Nossa equipe entrou em contato e conversou com á advogada Dra. Lucilene Rufo, que é Presidente da Subcomissão da Mulher Advogada.

"Sabendo que os diversos tipos de agressão contra o gênero feminino dentro da perspectiva familiar perpassa de forma transversal a todas as classes sociais, nós como instituição nos sentimos movidas a realizar o Projeto Oab Cidadã, que busca desde a sua gênese, entregar esclarecimentos e combater preventivamente todos os tipos de abuso reportados à figura feminina, sobretudo na cidade de Corrente." afirmou a advogada.

Informou ainda que "É necessário classificar que a maioria das violências acontece no ambiente velado da própria casa. Neste lugar com ar acolhedor, podem ter como sujeitos ativos o marido, companheiro, pai, irmãos, filhos, cunhada, sogra, dentre outros, pois agressor pode ser qualquer pessoa, porém, vítima somente mulher ou quem se declare do gênero feminino como supramencionado."

E classificou a volência contra a mulher, como uma violação de Direitos: "A violência contra a mulher é uma forma vil de violação de direitos humanos e liberdades individuais, podendo se apresentar de formas diversas e gerando prejuízos de ordem física, moral, patrimonial e psicológica, razão pela qual tem atraído vítimas ao alcoolismo e suicídio, conforme relato de familiares de vítimas que costumavam ou permanecem acobertando o silêncio e o medo não só de sofrerem mais agressões injustas, mas principalmente da represália social."

Segundo a Dra. Lucilene não é incomum atender mulheres que se sentem julgadas pelos vizinhos e familiares, "pois a sociedade que empodera, infelizmente é a mesma que apedreja. A cada contato, precisamos ter sororidade e empatia com as mulheres em que atendemos e ouvir seus relatos ao longo das palestras realizadas em escolas, nos fez sentir necessidade imperiosa de fazer o papel que nos cabe: Prevenir para Combater."

A presidente falou da importância da advocacia nestes casos "A figura do advogado é essencial na representatividade do cidadão, sendo este um dos primeiros a defendê-lo quando da violação dos seus direitos e como mulheres advogadas temos balizamento para tal, uma vez que nossa voz tem ganhado força, e nada mais adequado do que mulheres que dão as mãos na defesa de outras mulheres e isto é o que nossa Subcomissão tem buscado e certamente logrará êxito em todos projetos que pretende realizar neste triênio."

"Deste modo, reafirmamos que as mulheres que a nós vierem em busca de socorro jurídico não ficarão à mercê da falta deste, pois viemos para concretizar voz e vez para aquelas que se sentiram desoportunizadas até o momento." afirmou no final do texto enviado a nossa redação nesta tarde de sábado.

Nosso Portal também ouviu a jovem advogada Laíse Morais que afirmou a importância da Lei Maria da Penha: " A violência contra a mulher atinge todas as etnias, religiões, escolaridade e classes sociais. É uma violação de direitos humanos e liberdades fundamentais. A violência pode se manifestar de várias formas, com diferentes graus, que costumam ficar encobertos pelo silêncio e medo. A Lei n° 11.340/2006 denominada Lei Maria da Penha é considerada uma das três leis mais importantes do mundo. Referida lei foi criada visando eliminar todas as formas de violência contra a mulher. Portanto, qualquer ato de violência contra a mulher deve ser denunciado (disque 180)."

"A violência doméstica, ou melhor, a violência contra a mulher tem se tornado manchete nos principais meios de comunicação. Muito se tem falado e pouco ou quase nada se tem feito por essas vítimas. Aqui em Corrente -PI não é diferente. Quase todos os dias mulheres procuram a polícia para registrar ocorrências contra companheiros ou pessoas com quem tiveram relacionamentos afetivos, que em um dado momento se tornaram abusivos. Já tivemos vários casos de violência, e alguns terminaram com a vítima vindo a óbito. Portanto, o ato realizado hoje, demonstra que a subsecção da OAB Corrente , representada pela Subcomissão da Mulher Advogada, está preocupada com o aumento do índice de violência contra a mulher em nosso município. E pensando nesse aspecto, é que foi planejada essa mobilização nas ruas, mercado municipal e semáforos da cidade. Através da entrega de folder com informações acerca do tema , temos como meta, conscientizar o maior número de mulheres, que sofrem diversos tipos de violência de gênero, quais sejam - sexual, psicológica, moral, física e doméstica, e que esta prática seja banida da sociedade.Esse foi o primeiro passo de uma grande caminhada, que com certeza teremos pela frente. Acreditamos ter sido bastante proveitosa a nossa presença no meio da população, nos colocando à serviço da sociedade e cumprindo o nosso papel social que é de garantir a cada cidadã o amparo legal, quando forem vítimas de violência." complementou a advogada Mara Nogueira.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: