Vacinação Contra a Febre Aftosa Começa em Todo o Brasil

A Etapa de Vacinação vai até o dia 31 de Maio

Durante a abertura da ExpoZebu, semana passada em Minas Gerais, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina lançou a campanha de vacinação contra a febre aftosa 2019 para todos o país, menos o estado de Santa Catarina, que fará sua etapa de vacinação somente em novembro, porque o estado é considerado livre da aftosa. O Brasil ano passado chegou ao status de área livre da aftosa com vacinação. O Piauí também é considerado com livre da aftosa com vacinação.

A ministra Tereza Cristina enfatizou a primeira etapa de vacinação para os criadores, “É importantíssima a responsabilidade do produtor brasileiro em vacinar seu gado”. Existe um programa que o produtor brasileiro precisa seguir para vacinar no prazo correto, ele precisa usar a vacina em 30 dias, e a dosagem vai diminuir".

Ministra Tereza Cristina,em ato simbólico do lançamento da campanha contra a febre Aftosa.

Foto: MAPA.

A meta do governo brasileiro é de conseguir o status de livre da febre aftosa sem vacinação até o ano de 2023, isso pode ter ótimas consequências, principalmente para as exportações de carne bovina. "Com isso, vamos ter um upgrade nas exportações de carnes, de miúdos, para muitos países do mundo que hoje restringem a importação de carne por causa da vacinação, apesar de o Brasil ser livre da doença em todo o seu território. Esse é o próximo grande passo da pecuária brasileira", complementa a ministra.

Febre Aftosa no Piauí.

No Piauí a Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (ADAPI), agência criada em 2006 intensificou o combate contra a febre aftosa com frequentes campanhas de vacinação com índices que chegam a 95% de cobertura em todo o estado do Piauí. Hoje o estado é considerado área livre com vacinação e até o ano de 2020 que ser considerado área livre de aftosa sem vacinação. Há principal mudança para este ano é a dosagem da vacina, que passa dos 5ml para 2ml.

“Essa mudança tem como objetivo a redução das reações vacinais provocadas pelas doses anteriores, como abscessos e caroços que alguns animais acabavam apresentando. Bem como reduz os custos totais para os produtores”, afirma o Gerente de Defesa Animal, Idílio Moura, que ainda ressalta que tal mudança acontece após testes realizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O criador deve se dirigir até as lojas cadastradas pela Adapi, comprar a vacina e logo depois ir até o escritório da Adapi da sua região e certificar a vacinação. O prazo vai até o dia 15 de junho para a certificação, quem não vacinar seu rebanho está sujeito a multas e sanções.

Dê sua opinião:

Tags

Veja também: